20 de abr de 2011

Pedi e obtereis.

Cap. XXVII O Evangelho segundo o Espiritismo.

Para iniciar este capítulo Kardec usou passagens bíblicas de S. Mateus, S. Marcos, S. Lucas. Onde podemos ver as seguintes qualidades da prece: em segredo, sinceridade, poucas palavras, perdão, coração purificado, humildade.

A prece, oração, é uma transmissão de pensamento.

Quem ora, ora a alguém ou algo.

O pensamento é uma energia que se movimenta pelo impulso da vontade.

A minha vontade, impulsiona o meu pensamento na direção que eu o enviar.

Ex. : quando uma mãe ora por um filho,

quando oramos pelo planeta.

Todos nós estamos imersos no F.C.U. ( fluido cósmico universal) e nele o pensamento se propaga, como pelo ar se propaga o som de um trovão cujo raio caiu distante, eu não o vejo, mas posso ouvi-lo ribombar.

Também podemos dirigir a nossa oração a Deus, aos seus espíritos mensageiros, a Jesus, aos espíritos que nos são familiares, protetores e amigos.

Neste momento, como nos diz Kardec “ o homem chama para si o concurso dos bons espíritos.”

Quando S. Mateus diz “ o Pai sabe do que necessitais”, não diz que não precisamos orar.

É um alerta para que saibamos o que conversar com Deus.

O Senhor age conosco como um pai que nega ao filho algo que não será útil para seu crescimento, para sua evolução.

Quando oramos podemos fazer três coisas:

-pedir

-agradecer

-louvar

Louvar quer dizer elogiar, exaltar, bem dizer e glorificar. ( glorificar- prestar homenagem a...)

O que fazemos mais?

Jesus orava, e deixou orientações para quando fossemos orar.

Ele orava sozinho quando se retirava, orava junto aos amigos e ás multidões.

E orou no suplício....por nós.

Jesus orava em qualquer lugar e a qualquer momento, e Kardec coloca no final do capítulo duas instruções dos espíritos quanto a maneira de orar e a alegria da prece.

Sobre o momento, a hora, o local para se orar e sobre as doces alegrias que descem sobre nós no momento da oração pura e sincera.

Neste momento precioso em que o nosso pensamento dirigido pela vontade do amor e da fé do nosso coração encaminha-se ao amor e á bondade do Criador, descem sobre nós uma chuva de bênçãos que nos cobre e se espalha sobre a Terra.

É a Bondade Divina fluindo do seu manancial de Amor, bálsamos de saúde e paz.

Então somos invadidos pela alegria, pelo bem estar, uma leveza e uma paz nos envolve.

Segundo Sto. Agostinho “A prece é filha primogênita da fé.”

Que a Paz do Senhor esteja com todos nós. Elaine

Texto de apoio: O Livro dos Espíritos

Cap. II Lei de adoração – perg. 651.

24 de mar de 2011

Buscai e achareis – E.S.E. Cap. XXV

Vivemos em sociedade e partilhamos experiências diferentes com diversas pessoas.Estas riquezas de experiências nos levam a inúmeros aprendizados.Como ninguém é igual a ninguém, convivemos com uma diversidade enorme. (matemática)

Aos poucos vamos desenvolvendo espírito de tolerância, compreensão, respeito.

O autor do texto Espero que você seja...brando, faz uma comparação de que somos como portas, e diz que devemos ser gentis e brandos ao bater a uma porta.Conforme batemos a uma porta é que demonstramos quem somos e então veremos se elas vão se abrir ou não para nós.Ex. se eu esmurrar a porta de sua casa, você não a abrirá para mim, não é?!E no final do texto, ele nos sugere: por isso bata mansamente.

Seguindo o texto do evangelho, ele nos fala:

Do trabalho como alavanca do progresso ( o que podemos observar na história da humanidade e seu desenvolvimento progressivo em todos os setores, nas relações sociais, na medicina, na tecnologia, etc.),

Nos fala também da reencarnação, sem a qual teríamos que reiniciar nosso desenvolvimento diária e constantemente,

Nos fala que somos responsáveis por nossas obras, temos o mérito e a recompensa por cada um.

Kardec questionou os espíritos quanto à possibilidade de intervirem e auxiliarem os homens nos intercâmbios com a espiritualidade; e estes deixaram claro que podem sim nos oferecer auxílio, mas que não intervém nem fazem nada em lugar de outra pessoa para que ela seja merecedora de colher os frutos de seu plantio.

Ler o item 5.

Como bater à porta?

Jesus disse: batei e se vos abrirá.

Para isso precisamos de confiança, fé, humildade.

Ler o poema de Rabindranath Tagore do livro Pássaros Livres, capítulo X. (sobre confiança)

O que faltou a este homem?

O Senhor estava ali. Ele sempre está conosco. Especialmente nas horas difíceis.

Ler o início do Salmo 40, que nos fala da confiança no Senhor.

Textos de apoio:

Buscai e achareis Cap. XXV itens do 1 ao 5 do Evangelho segundo o espiritismo.

Espero que você seja...brando de Joamar Zanolini Nazareth.

Do livro Pássaros Livres de Rabindranath Tagore psicografado por Divaldo Pereira Franco, capítulo X.

Inicio do Salmo 40.

25 de fev de 2011

A verdadeira propriedade.

Do capítulo XVI do Evangelho segundo o Espiritismo, instrução do espírito Pascal.
Estudando este item, do referido capítulo, faremos as seguintes observações:
A cerca de 400 anos antes de Crito, Esopo nos conta a fábula A cigarra e as Formigas, onde as trabalhadoras formigas incansávelmente buscam grãos no bosque todos os dias e no caminho passam por uma cigarra que leva os dias a cantar.
Com a chegada do inverno e não podendo mais cantar, a cigarra busca abrigo e chega ao formigueiro, pedindo abrigo e alimento.
As formigas perguntam, o que ela fizera durante a primavera enquanto elas trabalharam armazenando grãos para o inverno?
E a cigarra responde: _ Cantei!
E as formigas rebate: _ Pois agora dance! E fecham a porta.
Esta fábula foi recontada inúmeras vezes, e recentemente, Monteiro Lobato nos brinda com sua versão, onde após o apelo da cigarra por abrigo e alimento, as formigas respondem amavelmente que abrigarão aquela que cantava enquanto elas trabalhavam e com sua música enchia seus corações de força e alegria para o desempenho de suas tarefas. E convidam a cigarra para se aquecer e alimentar dentro do formigueiro.
Podemos observar a diferença entre as duas narrações, e que após a vinda do Cristo, a fraternidade e a solidariedade encontraram seu espaço em uma narrativa.
Mas não há erro em uma e acerto na outra. Enquanto um estimulava o trabalho, o cultivo da inteligência como alavanca do progresso, muito necessários a mais de dois mil anos atrás; o outro nos mostra a importância da caridade, o cultivo das virtudes, o desapego aos bens materiais, como no texto de referência " A verdadeira propriedade".
Precisamos muito uns dos outros para progredirmos; quantas vezes não somos amparados,
orientados, curados, auxiliados, de maneiras tão discretas que nem nos damos conta?!
Nos auxiliamos mutuamente, somos todos integrantes da grande orquestra da vida!
E assim vamos cultivando boas sementes em nossos corações, e quando partirmos desta vida, levaremos as mãos cheias de bens. Não os materiais, que ficam na Terra, mas os bens do coração.
De que nos adiantaria, fazer como a formiga, ter abrigo, mesa farta, mas ter o coração vazio de amor?!
Só abastecer-se de alimentos para o corpo e não para a alma?!
O espírito Pascal nos faz um convite, para adquirirmos mais bens imperecíveis.
Cultivando a inteligência: trabalhando, estudando, aprendendo coisas novas.
E cultivando os bens morais: fazendo o bem em todas as oportunidades possíveis.
Contribuindo com o Progresso, com a Paz, com o Amor e com Jesus.

14 de jan de 2011

A fé divina e a fé humana.

Ao iniciarmos um ano novo, nós respiramos uma atmosfera de renovação. Porque?

Pensamentos positivos e otimistas nos envolvem.

Novas esperanças, novos projetos, um novo ano letivo, retorno das férias e outras coisas.

Isso é maravilhoso.Mas não passamos os 365 dias do ano em um mar de rosas, onde encontrar as forças para as horas difíceis?

Acompanhando a mensagem que Allan Kardec adicionou ao E.S.E. no capítulo "A fé que transporta montanhas", vemos: “ O homem de gênio.... triunfa se tem fé”.

Temos na história da humanidade muitos exemplos de homens perseverantes, triunfantes :

Ex: Thomas Edsom – lâmpada –+de 1000 tentativas com fibras para conseguir seu objetivo.

Com certeza ele tinha projetos, esperanças, pensamentos otimistas.

Como todos nós.

Ao final de um dia de trabalho, no estudo dos filhos, na conclusão de um curso, na aquisição de bens, etc

A humanidade se desenvolveu e progrediu assim.

A tecnologia no campo ou na cidade, a medicina,

São exemplos desta fé e perseverança.

Lemos em seguida sobre pessoas que buscam forças na fé e “ cumprem milagres de caridade, devotamento e abnegação”.

Buscamos estes exemplos com Madre Teresa, Chico Xavier, Criança Esperança, ONGs, etc.

Eles alimentam, vestem, instruem, medicam, auxiliam as pessoas.

Como todos nós.

Cuidamos de nossos filhos, pais, familiares de diferentes maneiras.Ou cozinhando ou trabalhando.

Cuidamos da comunidade da qual participamos com nossas ações em diferentes momentos.

Quando respeitamos o trânsito, quando recolhemos o lixo, quando zelamos de bens públicos, quando reciclamos, quando doamos tempo, bens, ações, quando oramos em benefício do semelhante.

Contribuímos com a sociedade, com a família, com a comunidade da qual participamos, etc.

Fazemos aos poucos.

E podemos fazer cada vez mais.

Depois veremos sobre o magnetismo.

Essa força, que segundo o texto “ é a prova da fé posta em ação”.

E diz mais:” que é o desenvolvimento das faculdades humanas”.

Ou seja: todos podemos desenvolver esta força maravilhosa com fé.

Temos uma abençoada oportunidade no momento da oração.

Quando oramos colocamos a fé em ação.

Quando oramos nos envolvemos em pensamentos otimistas e positivos.

Sentimentos de amor e gratidão.

Pensamentos de esperança e fé, dirigidos ao Criador.

Num intercâmbio maravilhoso.

Para ilustrar, recordei que li uma vez em um livro que um espírito desencarnado aproximava-se da crosta terrestre para trabalho de assistência e aprendizado justamente em uma região que sofria com uma guerra que afligia toda a população.

De longe ele notou que uma luz maravilhosa se projetava na noite e estendia-se aos céus, partindo de uma construção.

Ao se aproximar ele vê que a luz partia de um grupo de pessoas reunidas que oravam e cantavam.

Vemos em pinturas os artistas retratarem nos quadros sobre a cabeça de santos, feixes de luz, que estas pessoas produziam quando oravam, quando estavam em meditação.

Todos nós podemos fazer o mesmo e juntos podemos enviar pensamentos de fé e de esperança, de perseverança e coragem ás pessoas que passam por duras provações na existência.

A união faz a força. Frase antiga e atual.

Vamos nos solidarizar à dor alheia e orar, doar e contribuir para um planeta com mais amor, fé e esperança.
Fiquemos todos na paz do Senhor.

Texto de apoio: A fé divina e a fé humana- O Evangelho segundo o Espiritismo.